Carlito



CARLITO (1927-1980)
Maior artilheiro do Bahia em todos os tempos, com 253 gols em 13 anos de clube, de 1946 a 59. É também o maior goleada tricolor na história dos Ba-Vis, com 21 tentos marcados.

Nome completo Carlos Domingues Viana
Data de nasc. 24 de setembro de 1927
Local de nasc. Salvador (BA), Brasil
Falecido em 10 de setembro de 1980 (52 anos)
Apelido Carlito

Carlos Domingues Viana, ou simplesmente Carlito, foi um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Revelado pelo Bahia (único clube o qual defendeu em toda sua carreira, de 1946 a 1959), o maior artilheiro do Tricolor[1] nasceu no dia 24 de setembro de 1927 em Salvador e participou do primeiro título nacional da equipe baiana, o Campeonato Brasileiro de 1959

O maior goleador da história do Bahia tinha como principais características o fato de ser um atacante rompedor, raçudo, exímio cabeceador e ter um excelente poder de finalização.

Além de ser o maior artilheiro do clube, Carlito também se destacou nos confrontos com o seu principal rival, o Vitória, tendo marcado 21 gols, número que o tornou o maior artilheiro do Bahia em Ba-Vis, sendo superado apenas por Juvenal, atacante do Vitória nas décadas de 1940 e 1950.

Em sua fase áurea no time tricolor, o atacante recebeu uma proposta para defender o Flamengo, mas acabou dissuadido pela noiva na época, que recusou-se a mudar com ele para o Rio, razão pela qual ele preferiu continuar no Bahia.[2]

Ao final de sua carreira, já com 32 anos de idade, Carlito cedeu a camisa 9 para outro lendário centroavante tricolor, Léo Briglia.

Momento marcante
Uma das passagens mais interessantes da história do jogador ocorreu em uma partida contra o Botafogo. Na ocasião, após perder um gol feito, o artilheiro saiu dando risada. No intervalo, o técnico o repreendeu e falou que ele não poderia rir após perder um gol daqueles. Carlito não falou nada, apenas voltou para o jogo. No segundo tempo Carlito viria a marcar um golaço, na comemoração o jogador saiu andando sério, sem falar nada para ninguém até chegar ao técnico. Então, o centroavante olhou para o seu treinador e disse “Como é, agora eu posso rir?”.

Fonte:https://pt.wikipedia.org

=========================

Carlos Domingues Viana. Já ouviu falar nesse nome? Alguns torcedores mais antigos do Bahia lembram com admiração, outros nem sabem de quem se trata. É um nome que não é muito citado quando se fala no Bahia, mas que está gravado na história do clube.

Não sabe porquê? Carlito, como era conhecido, é simplesmente o maior artilheiro da história do Esquadrão com 253 gols. Um desses gols, inclusive, aconteceu no velho Adolfo Konder, na rua Bocaiúva. Raçudo e “matador”, Carlito jogou pelo Bahia durante 13 anos (de 1946 até 1959), e ajudou o tricolor a conquistar a Taça Brasil de 1959.

Outro feito importantíssimo e Carlito é ter marcado 21 gols em clássicos Bavis, se tornando o maior artilheiro do mesmo. Além da Taça Brasil Carlito também conquistou nove campeonatos baianos, em 1947, 1948, 1949, 1950, 1952, 1954, 1956,1958 e 1959.

Carlito deixou o Bahia aos 32 anos e não atuou por nenhum outro clube. Chegou a receber uma proposta do Flamengo quado estava na melhor fase dentro do tricolor, mas acabou recusando a proposta gracas a sua esposa, que não aceitou ir morar no Rio de Janeiro.

Carlito morreu em 1980 e nunca chegou nem perto de perder o posto de maior artilheiro do clube, mantendo uma diferença de 42 gols para Douglas, o segundo maior artilheiro do tricolor.

Fonte:https://futebolbahiano.org