Reunião avalia campus para Instituto Nacional da Mata Atlântica

Texto de Pedro Biondi –
Ascom do MCTI publicado em 28/08/2013

20140209
A aquisição de uma área de vegetação nativa para pesquisas do futuro Instituto Nacional da Mata Atlântica foi a proposta levada ao ministro Marco Antonio Raupp por representantes do governo do Espírito Santo e da bancada parlamentar do estado nesta quarta-feira (28).
Pela ideia apresentada na reunião no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o local funcionaria como campus da nova instituição, uma unidade de pesquisa da pasta federal a se constituir a partir do Museu de Biologia Professor Mello Leitão, hoje pertencente ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). A área, colada a uma unidade de conservação, comportaria laboratórios, salas de aula e alojamentos.

Participaram da audiência os deputados federais Paulo Foletto (PSB), Camilo Cola (PMDB), Lelo Coimbra (PMDB) e César Colnago (PSDB). Foletto informou que a iniciativa tem respaldo da prefeitura de Santa Teresa, onde fica o museu, e do governo do estado, representado no encontro pelo subsecretário de Ciência e Tecnologia, Alberto Farias Gavini Filho. “O município tem a maior cobertura percentual de mata atlântica do país e uma das maiores biodiversidades do mundo”, destacou Foletto.

A criação do Instituto é prevista em projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados e encaminhado ao Senado, que também cria o Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal e o Instituto Nacional de Águas.

Prevenção

No encontro, o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre, pediu apoio do estado para a definição dos locais para instalação de pluviômetros do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI).

Ele lembrou que em Santa Teresa será instalado um radar meteorológico que vai elevar radicalmente a capacidade de previsão de eventos climáticos extremos na região.

Pelo ministério, também participou da audiência o subsecretário de Coordenação das Unidades de Pesquisa, Arquimedes Diógenes Ciloni.

Fonte:http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/349389.html

20140209-2

Representantes da Prefeitura de Santa Teresa já haviam estado no MCT em maio de 2011 e confirmaram a disposição em doar para o Instituto uma área de aproximadamente 120 hectares de reserva para pesquisas, o que deixou o secretário bastante entusiasmado e prometendo empenho no projeto.
O terreno oferecido está situado na zona rural, na localidade de Aparecidinha, distrito de Santa Teresa, localizado a, aproximadamente, 4 km da área urbana da cidade de Santa Teresa. São 118 ha, entre as coordenadas de 19º58’05″S e 40º37’32″W e 19º57’30″S e 40º37’08″W, em altitudes em torno dos 800 m, onde se localizam seis das nascentes do braço do Córrego São Pedro utilizado para o abastecimento de água potável da cidade de Santa Teresa

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.